AÇÃO para DESPOLUIÇÃO da Baía de Guanabara


O Projeto de Mobilização Social/Participação Comunitária foi realizado pelo Programa EICOS e fez parte do Programa de Despoluição da Baía de Guanabara de responsabilidade do Governo do Estado do Rio de Janeiro, tendo como principal orgão financiador o Banco Interamericano de Desenvolvimento, BID. O Programa de Despoluição da Baía de Guanabara incluiu diversos trabalhos de saneamento e melhorias ambientais, visando a gradativa despoluição desta importante área ambiental, assim como a melhoria da qualidade de vida dos habitantes da cidade.

O projeto atingiu 163 bairros divididos em 7 municípios, totalizando uma população média de 5 milhões de habitantes. Para abarcar esta área, a equipe contou com 70 pesquisadores em campo (10 em cada município) e mais 10 pesquisadores oferecendo suporte técnico-administrativo para o trabalho de campo, além dos pesquisadores seniors e de uma equipe do laboratório de imagens. O Projeto de Mobilização Social e Participação Comunitária, constituído e coordenado pela professora Tania Barros Maciel, foi elaborado a partir de uma metodologia de pesquisa participativa, utilizada como instrumento na busca dos principais interesses e aspirações das comunidades.

Os objetivos centrais do projeto foram:

1. Contribuir para a sensibilização da população atingida pelas obras, fazendo com que fosse percebida sua importância no processo de recuperação ambiental da Baía e envolvendo a comunidade em atividades participativas sobre questões ambientais.
2. Contribuir para a implantação de uma política de educação ambiental no Estado do Rio de Janeiro, especialmente em relação a comunidades.
3. Oferecer oficinas de treinamento e sensibilização ambientais, visando a elaboração de Agendas 21 locais.

Ao final do projeto, a população deveria estar ciente da importância das obras para o aumento de sua qualidade de vida assim como da melhora ambiental trazida com a recuperação da Baía. Mas, acima de tudo, deveria perceber que as soluções para os problemas existentes estão intimamente relacionadas com seu envolvimento na identificação de suas próprias necessidades e na procura por respostas locais.

A principal estratégia utilizada foi a parceria com as lideranças locais, identificadas a partir de técnicas como questionários e observação participante.

 





Este projeto contou também com a participação do Laboratório de Imagens do EICOS, responsável pela memória do projeto, registrando todas as etapas do mesmo, e pela realização de documentos visuais ilustrando diversos aspectos deste trabalho, através de pequenos documentários e relatórios visuais. Este registro em vídeo é hoje um importante material do Banco de Imagens do Laboratório de Imagens, no que diz respeito a meio ambiente, educação ambiental, participação comunitária, lideranças comunitárias e pesquisa participativa.

Dentre as ações empreendidas pelo projeto podemos destacar:

1. Oficinas de elaboração de projetos de desenvolvimento local em parceria com as associações locais, que culminaram em um concurso de projetos;
2. Encontros de treinamento e sensibilização com lideranças comunitárias, realizados por uma equipe multidisciplinar, composta por biólogos, sanitaristas, gestores ambientas, sociólogos, antropólogos e psicossociólogos;
3. Aplicação de um questionário sobre qualidade de vida buscando obter um balanço completo dos hábitos, atitudes e condições de vida da população concernida.

O Projeto de Mobilização Social e Participação Comunitária representou um excelente campo de pesquisas para o Programa EICOS, assim como um exemplo de interação entre a pesquisa e a comunidade. Os laços estabelecidos entre as equipes de pesquisadores e a população local permanecem até hoje e continuam a gerar importantes parcerias.

LIDERANÇAS COMUNITÁRIAS IDENTIFICADAS

PRINCIPAIS PROBLEMAS AMBIENTAIS NOS MUNICÍPIOS